COVID-19 expõe desafios e oportunidades para técnicos em Enfermagem no Brasil

Dia Nacional do Técnico e Auxiliar de Enfermagem, comemorado nesta quarta (20), mostra a realidade do profissional do combate à pandemia.

A pandemia causada pelo novo coronavírus está levando muitas profissões para o divã e uma das áreas suscetíveis a mudanças é a Enfermagem. Hoje, dia 20 de maio, comemora-se o Dia Nacional do Técnico e Auxiliar de Enfermagem e o Centro Paula Souza (CPS) aproveita a oportunidade para prestar homenagem ao profissional que sempre esteve na linha de frente dos cuidados com o paciente e destaca as oportunidades na carreira.

Nestes dias de caos na saúde o que não falta é adrenalina e cortisol para o profissional de Enfermagem, que deixou a capa da invisibilidade e virou super-herói. Os profissionais ganharam reconhecimento, mas enfrentam os desafios de estar na linha de frente durante um momento crítico para o sistema de saúde. A coordenadora geral do curso no CPS, Tereza Cristina da Silva, avalia que essa exposição deve aumentar o interesse pelo curso técnico de Enfermagem, que já está entre os mais procurados pelos inscritos no processo seletivo das Escolas Técnicas Estaduais (Etecs). “Haverá maior procura, mas acredito que haverá também uma mudança no perfil dos candidatos que, a partir da COVID-19, farão sua escolha de forma mais consciente. O caos da pandemia escancarou a realidade do mercado”, avalia.

Para a educadora, o mundo com bilhões de pessoas tornou-se um ambiente favorável para várias pandemias. “Faz parte da natureza, a humanidade sempre enfrentou surtos de vírus então desconhecidos e o jovem deve saber que essa é realidade da carreira.”

Carreira em alta

O curso de técnico de Enfermagem é oferecido em 59 Etecs da Capital e interior e no Vestibulinho do primeiro semestre de 2020 foram oferecidas 2.265 vagas. A unidade mais procurada pelos interessados no curso no último processo seletivo foi a Etec Carlos de Campos, da Capital, que registrou a relação de 26,03 candidatos por vaga.

Além de atuarem em hospitais e clínicas, esses técnicos encontram oportunidades em outros setores, como os serviços de home care, os centros de diagnóstico, ambulatórios médicos de especialidades, escolas infantis, clínicas de reabilitação, institutos de longa permanência e cuidados de idoso.

Momento de valorização

O movimento de reconhecimento profissional do enfermeiro é global. Antes mesmo do início da pandemia, a Organização Mundial de Saúde (OMS) lançou a campanha de valorização Nursing Now e estabeleceu o ano de 2020 como Ano da Enfermagem.

No Brasil, depois dos aplausos da sociedade que reconheceu o protagonismo do corpo da Enfermagem na gestão desta crise sanitária, a categoria dedica-se a conquistas mais práticas, como regulamentação do piso salarial, redução da jornada de 40 para 30 horas e melhores condições de trabalho.

Outro combate urgente dos chamados “super-heróis” é contra as fake news que têm motivado comportamentos agressivos e hostis contra os profissionais da Enfermagem que atuam na linha de frente da pandemia. Por meio do Cofen, a categoria é signatária de uma carta que cobra das plataformas digitais medidas enérgicas contra notícias falsas que prejudiquem o combate à COVID-19 e possam colocar os profissionais da saúde em situação de risco.

(Fonte: Portal do Governo de SP)

Compartilhe: